O Futebol de Mesa brasileiro amanheceu de luto nessa segunda-feira, 02/08/21, com a partida de Salatiel Galdino, uma das suas mais icônicas, representativas e importantes figuras em todos os tempos.

A passagem desse grande Mestre causou comoção na comunidade botonista nacional, e foi assim traduzida nas palavras do potiguar Fábio Almeida, um dos seus grandes amigos, com a qual dividia a paixão pelo ABC FC:

Eu conheci Salatiel quando iniciei na prática do futebol de mesa, lá pelos anos 80, e além de grande fabricante, ele também era um extraordinário botonista. Na época jogava conosco na Associação Norte-Riograndense de Futebol de Mesa (ANFM), e era um dos botonistas de ponta em nosso estado... Craque fora e dentro de campo!

Mas, sem dúvida nenhuma, talvez o maior legado que ele deixou para o futebol de mesa, foram os botões que ele fabricou, os milhares de times que ele conseguiu fabricar, para pessoas do país inteiro.

Muita gente, de vários estados, e eu sou um deles, afirma que Salatiel foi o melhor artesão de botões do país, em todos os tempos. O nível de acabamento, o trato que ele dava à quina... Ele tinha um método próprio de dar trato, de quebrar as quinas dos botões com vidro, que é uma coisa muito rara e que pouca gente consegue fazer.

Salatiel vai deixar com a gente aqui do estado, do país inteiro, muita saudade. Mas também vai deixar lembranças boas. Ele sempre foi uma pessoa irreverente, alegre, brincalhão... Um cara extremamente companheiro, amigo, agradável... Um cara que tinha uma sensibilidade cultural imensa!

Então esse legado Salatiel, meu amigo, vai deixar no coração de todos nós que amamos o futebol de mesa, que amamos jogar botão!

Valeu por tudo, Salatiel... Valeu, meu irmão! Um abraço e muito obrigado por tudo.

A Confederação Brasileira de Futebol de Mesa (CBFM) faz suas as palavras de Fábio, e decreta luto oficial de três dias.