CBFM

Rio de Janeiro, 18 de abril de 2021

O Brasil contabilizou neste sábado (17/04/21) 371.889 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia.

A média móvel é, nesse momento, de 2.917 mortes por dia.

17 estados estão com mais de 90% de ocupação dos leitos de UTI, com mais de 6 mil pessoas na fila por um leito.

Em contrapartida, apenas 4,48% da população brasileira recebeu a segunda dose da vacina, até agora.

Todos os estados estão, em diferentes graus, com restrições ao funcionamento em todas as atividades, de todas as áreas, incluindo a proibição de eventos esportivos com público.

No entendimento das diretorias de Chapas e Sectorball da Confederação Brasileira de Futebol de Mesa (CBFM), com o assentimento da Vice-Presidência de Regras Internacionais de nossa entidade máxima, embora todos tenhamos a expectativa do avanço da campanha de vacinação, é claramente ilusório se acreditar que, em 3 ou 4 meses, tudo já estará resolvido e estaremos aptos a realizar grandes eventos, com segurança (incluindo aí os deslocamentos inerentes, e os tempos de viagem).

Não sem razão, hoje o Brasil é o 2º país do mundo com mais restrições no exterior para entrada de viajantes. 17 países não aceitam a entrada de pessoas ou voos que passaram pelo território brasileiro, incluindo Argentina e EUA, sedes dos próximos Campeonatos Mundiais.

O Campeonato Sul-Americano, previsto para outubro, no Chile, já foi adiado pela Confederación Sudamericana de Fútbol de Mesa (CSAFM) para 2023.

As próprias federações estão no aguardo para definirem seus Estaduais, baseadas sobretudo no posicionamento da CBFM quanto aos Campeonatos Brasileiros.

Assim sendo, dentro da autonomia desta Vice-Presidência, sua diretoria acredita que é correto, prudente e prático já comunicarmos o adiamento dos Campeonatos Brasileiros de 2021 das duas modalidades (Chapas e Sectorball), previstos para o segundo semestre, na cidade de São Paulo, com o mesmo procedimento que adotamos no ano passado: as competições ficam transferidas para 2022, nas mesmas sedes e datas aproximadas que planejadas para este ano.

Caso a situação melhore mais a frente, o que é nebuloso de se vislumbrar nesse momento, com certeza absoluta, eventualmente podemos avaliar retornar às atividades no segundo semestre, seguindo os protocolos de segurança recomendados, com a realização de Opens (nacionais ou internacionais). Como são Opens, a participação fica facultativa.

Com isso os estados também já podem definirem-se, e todos podemos começar a nos programarmos, com equilíbrio, calma e segurança, para a próxima temporada.

Marcelo Lages
Vice-Presidente de Regras Internacionais da CBFM

Abel Cepa
Diretor de Chapas da CBFM

Marcelo Coutinho
Diretor de Sectorball da CBFM