A Copa do Brasil 2017 foi realizada em Fortaleza-CE no Shopping Rio Mar entre os dias 27 e 28 de maio, 56 competidores em busca da consagração, em busca de se tornar o melhor do país dentro da modalidade no primeiro semestre do ano. Foram jogos disputadíssimos, dois dias de puro futmesa, competidores de diversos estados, porém o título continua com o Rio de Janeiro, Wellington atleta do Flamengo, que havia batido na trave em 2014, quando representava as cores da ADDP-Cabo frio/RJ, encontrou na final seu algoz daquela fatídica final, Brayner Wertmuller, que naquela ocasião defendia as cores do Flamengo.  Em 2017 uma reprise de 2016 entre equipes, outro “Fla-Flu” nas mesas, na ocasião anterior deu Fluminense com Paulinho Quartarone, uma final com duplo sentimento de revanche.

No primeiro dia foram disputadas a 1ª e 2ª fases. Na 1ª fase todos 56 atletas foram divididos em 08 grupos com 07 atletas cada, onde 35 avançariam para a série ouro intermediária e 21 disputariam a série bronze intermediária. Na 2ª fase com as séries intermediárias definidas, apenas 21 da série ouro intermediária avançariam para a 1ª divisão e 14 iriam compor a 2ª divisão. Pela série bronze intermediária, apenas 07 subiriam para a 2ª divisão, enquanto os 14 restantes se manteriam na 3ª divisão. No final do 1º dia já estava definido o pelotão de elite da competição, onde conheceríamos o grande campeão entre os 21 craques da 1ª divisão.

No início do 2º dia, uma chuva na quente cidade de Fortaleza logo de manhã já demonstrava que o clima da decisão seria bastante tenso, onde um simples erro definiria o fracasso e o sucesso do adversário, havia muita coisa em jogo, para os atletas locais a responsabilidade de fazer um excelente campeonato na 2ª divisão, pois havia um pouco mais que a metade de atletas do estado nesta divisão, 07 ao todo, num total de 13. Dos pernambucanos que colocaram 02 atletas na 1ª divisão, representando o Nordeste no pelotão de elite. Para os mineiros que também colocaram atletas na 1ª divisão, entre eles, Colla 3º colocado da Copa do Brasil em 2015. Dos atletas de Brasília que tinham representação de 03 atletas na elite. Do eixo-sul do país que colocaram 02 atletas de Santa Catarina e um único atleta do Paraná na 1ª divisão. Dos cariocas que carregam a hegemonia da competição e com maioria na divisão de elite, o título tinha que voltar para o RJ. Cada um com sua responsabilidade nos ombros, longe das famílias, a tensão realmente pairava no ar, mas a amizade e confraternização na mesa não deixou em nenhum momento essa tensão passar dos limites de cada um, um comportamento impecável de TODOS os atletas em um torneio impecável, simplesmente espetacular.

No decorrer do dia, em cada jogo, em cada bola na trave, em cada chance desperdiçada, em cada gol marcado, os melhores em cada divisão foram sendo apresentados. Enfim chega a tão temida 3ª fase, que dela em diante passariam a ser eliminatória, um erro, uma tática errada poderia colocar toda a trajetória do atleta até aquele momento a perder, os jogos deveriam ser perfeitos. Ouvia-se pelos cantos: “poderia ter sido melhor”, “poderia ter feito aquele gol”, “quase que perdi aquele jogo”, o afunilamento perverso foi deixando seu rastro fase a fase, em todas as divisões, até que se chegasse a grande final geral.

Pela 3ª divisão, o Leão da Ilha rugiu mais alto, Belfort , atleta do Sport Recife, conquistou o título em cima do atleta do Guara/DF André. Na disputa de 3º lugar Alessandro BYK do Bonsucesso FC/RJ  venceu Cristiano do Olympic levando o troféu para outros Leões, mas da Leopoldina do Rio de Janeiro.

Pela 2ª Divisão, o atleta Warley do Vasco da Gama faturou o título, após triunfo em cima de Sylvio do Bangu/PR. O atleta do Flamengo Tavares conquistou o 3º lugar em cima de Carlos Alberto do Joquei/CE, que conseguiu uma importante classificação, sendo o melhor atleta local na competição.

Pela 1ª Divisão, na disputa do 3º lugar dois atletas bem conhecidos no cenário nacional, Bruno Romar que já foi 3º (2010 – Bola Quadrada/DF), 2º (2016 – Flamengo/RJ) e campeão (2015 – Flamengo/RJ) e o mineiro Luiz Colla, 3º colocado (2008 – Tupi/MG e 2015 – São Carlos/MG). Melhor para o mineiro que conseguiu pela 3ª vez a posição de 3º melhor da Copa do Brasil.

Na finalíssima uma história de camisas, uma rivalidade dos campos, de um lado o Flamengo com 03 títulos na competição, de outro o Fluminense com 02 títulos conquistados era a chance dos tricolores empatarem em número de títulos com os rubro-negros da Gávea. Era um “Fla-Flu” que se repetia seguidamente, era uma história que se iniciou em 2014 e ainda não havia acabado para Wellington. Um frio na barriga para o atleta rubro-negro, um medo de 2014 voltar a se repetir naquela mesa, para Brayner  uma formalidade, bicampeão, com 04 participações em finais da competição e com algo a mais: já havia vencido Wellington em finais de Copa do Brasil. O jogo começa e a tensão paira no ar, as mãos tremulam a cada chute, e os olhos de quem está defendendo torce para que o chute vá pra fora, como se conseguissem mexer o dadinho apenas com o pensamento e jogo continuava com boas chances para cada atleta. No fim uma chuva de alegria, uma história inacabada enfim tinha seu final feliz, com 2x1 no placar, Wellington levanta o caneco a nível nacional pela primeira vez e de quebra consegue fazer com que o Flamengo conquistasse mais um título de copa do Brasil, agora o rubro-negro mantém-se bem a frente dos rivais com 04 títulos.

Parabéns ao Shopping Rio Mar, ao Sinucabol e a coordenação da FUTMECE que fizeram da competição um espetáculo da modalidade a nível nacional, com cobertura de rede de televisão e outros canais de comunicação. A vice-presidência da modalidade e seus diretores que forneceram total apoio a coordenação tornando a competição ainda melhor.

Lógico, parabéns a todos os atletas que prestigiaram o torneio, muitos vieram de longe, se afastando de suas famílias com o objetivo de elevar ainda mais o nível da competição.

Parabéns aos campeões que demonstraram dedicação e garra em busca do troféu, mas sempre respeitando seus adversários e mantendo a confraternização e amizade acima de toda competitividade.

Nos vemos logo ali, em Brasília/DF, dias 21 e 22 de outubro para a disputa do Campeonato Brasileiro 2017 – individual, estão todos convidados para prestigiar mais um evento fantástico da modalidade que mais cresce no Brasil.

Futebol de Mesa, esse é meu esporte!

Segue abaixo a classificação final da Copa do Brasil 2017