ATA DE REUNIÃO DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL DE MESA E PRESIDENTES DAS FEDERAÇÕES MODALIDADE 12 TOQUES.

Aos 28 dias do mês de maio de 2016, ás 19h, na sede social da Associação Atlética Botucatuense, na cidade de Botucatu, por ocasião da realização da vigésima oitava edição do campeonato brasileiro individual, realizou-se como tradicionalmente a reunião presidencial anual da modalidade 12 toques, presentes os Srs., Ernandes Roberto Felicio Junior, Vice-Presidente da Confederação Brasileira de Futebol de Mesa, modalidade 12 toques e Presidente da Federação Paulista de Futebol de Mesa, Christofer Barres Pereira, Vice-Presidente modalidade 12 toques FEFUMERJ, Eder Sérgio Bezerra de Souza, Presidente da Federação Pernambucana de Futebol de Mesa, Waldomiro Kairalla Rienna, Presidente da Federação Goiana de Futebol de Mesa, Marcos Cavalcante de Oliveira, Presidente da Federação Manauara de Futebol de Mesa, Victor Emanuel Almeida Heremann, Presidente da Federação Paranaense de Futebol de Mesa, Rafael de Andrade Moreira, Presidente da Federação Cearense de Futebol de Mesa, Eduardo Gomes Dancuart, representante do estado de Minas Gerais, Armando Francisco da Silva Filho, representante do estado de Alagoas, João Paulo Gardelim, representante do estado do Rio Grande do Sul, Erismar Ferreira Gomes, benemérito, colaborador e atleta da Sociedade Amigos de Vila Maria Zélia, Harutiun Muradian, grande benemérito, colaborador e atleta da Sociedade Amigos de Vila Maria Zélia.

Os estados devidamente representados passaram a deliberar sobre:
1- alteração na regra, proposta por Armando Francisco da Silva Filho tendo como relator Erismar Ferreira Gomes; 2- calendário 2017/2018; 3- formato do campeonato brasileiro por equipes e inovações na forma de escalação, autoria Marcelo Lages proposta por Ernandes Roberto Felicio Junior; 4- implantação da Copa do Brasil por equipes, autoria de Marcelo Lages proposta por Ernandes Roberto Felicio Junior; proposta a mesa os temas, iniciaram-se os trabalhos.

 

Item 1 - DA ALTERAÇÃO DA REGRA

Proposta a alteração informalmente no ano de 2013 pelo botonista pernambucano Armando Francisco da Silva Filho, consiste em “NÃO ARRUMAR MANUALMENTE ATAQUE E DEFESA NO TIRO DE META APÓS CHUTE A GOL”.

Desde então sendo discutida como na ocasião da vigésima sétima edição do campeonato brasileiro individual ocorrido na cidade do Rio de Janeiro. Oportunamente convidamos como relator o Sr. Erismar Ferreira Gomes, o qual passou a testar e relatar as dinâmicas encontradas com a alteração, relatório elogiado por todos os presentes.

Entre inúmeros pontos positivos, destacamos principalmente a simplificação da regra, a desmecanização do ataque/defesa, a facilidade no aprendizado para crianças e adultos, a impossibilidade de retardamento pelo chute ao gol, possibilidade de reposicionamento dos botões de forma estratégica, maior tempo de bola em jogo.

Dada a palavra aos membros, ocorreu amplo debate, proposta a votação, por UNANIMIDADE dos votos aprovou-se a alteração da regra. Em relação ao período de implantação a partir de 01/07/2016, proposta a votação, oito a favor e dois contra (RJ e AM), em todos os campeonatos realizados por equipes ou individuais realizados pelas federações filiadas a confederação.

Em anexo consta a redação final aprovada pela mesa, a qual passará a constar do livro oficial de regras e vigência a partir de 01/07/2016 em âmbito nacional.

Com a internacionalização da regra doze toques, a Confederação ficou incumbida de proceder à tradução da regra para o espanhol e enviar vídeo demonstrativo da alteração aos países praticantes.

 

Item 2 - CALENDÁRIO 2017/2018
 

Calendário 2017

Brasileiro Individual – Caruaru (15 a 18 de junho).
Copa do Brasil – Porto Alegre ou Passo Fundo (7 a 10 de setembro).
Brasileiro Equipes – São Paulo (2 a 5 de novembro).

 

Calendário 2018

Brasileiro Individual – Londrina (31 de maio a 3 de junho).
Copa do Brasil – Rio de Janeiro (7 a 9 de setembro).
Brasileiro Equipes – Manaus ( 15 a 18 de novembro).

 

Item 3 - BRASILEIRO EQUIPES

Proposta feita por Ernandes Roberto Felicio Junior, foi submetida à mesa nos seguintes termos: que a disputa do campeonato máster equipes ocorra no mesmo local com a categoria principal nos horários do campeonato individual, máster na parte da manhã e principal à tarde, ressaltou que a categoria máster é importante para a estrutura do esporte e desta forma será prestigiada adequadamente. Que o formato do campeonato por equipes seja em rodada única nas fases antecedentes à semifinal e a partir desta seja 4x4 até final. Que outra sugestão lhe foi apresentada pelo colega Marcelo Lages, consistente em alterar a forma das escalações das equipes, usando como exemplo o Subutteo, onde os capitães escolhem abertamente os confrontos. A proposta foi elogiada e debates ocorreram, firmado o compromisso de solicitar ao Vinicius De Simone a formatação e analise da proposta para em novembro deste ano nova análise seja feita.

 

Item 4 – COPA DO BRASIL EQUIPES

Proposta por Ernandes Roberto Felicio Junior foi submetida à mesa nos seguintes termos: que a sugestão lhe foi apresentada pelo colega Marcelo Lages, consiste em implantar a Copa do Brasil por equipes em conjunto com o brasileiro individual, no inicio dos dias de competição com rodada única do inicio ao fim do torneio. A proposta foi igualmente elogiada e debates ocorreram, firmado também o compromisso de solicitar ao Vinicius De Simone a formatação e analise da proposta para em novembro deste ano nova analise seja feita.

Dada a palavra aos presentes, foi encerrada a reunião.

 


 

ANEXO I – DA ALTERAÇÃO DA REGRA

 

Capítulo X – Do Posicionamento dos Botões

Art. 27. A arrumação geral dos botões obedecerá exclusivamente o exposto nos artigos 25 e 26, sendo vedada a arrumação geral dos botões em qualquer outra hipótese.

§ Parágrafo único - Só é permitida a arrumação geral dos botões quando houver saída de bola ao centro de campo, no inicio das fases primeiro e segundo tempo e após o gol.

 

Capítulo XVI – Do tiro de Meta

Art. 69. No chute a gol quando a bola sair pela linha de fundo ocasionando o tiro de meta, não há arrumação geral de botões, podendo o time que for cobrar o tiro de meta puxar um botão ou faze-la com o goleiro sem mexer manualmente nos demais botões próprios ou do adversário.

§ Parágrafo primeiro - Havendo qualquer botão, próprio ou do adversário dentro ou tocando a linha da pequena área, o cobrador do tiro de meta poderá afastar o botão com distância de oito centímetros medida por um goleiro, devendo o botão afastado permanecer dentro do campo de jogo.

§ Parágrafo segundo – o tiro de meta pode ser batido de qualquer lugar da pequena área independente do lado que a bola tenha saído.