O Espaço Futmesa foi um grande sucesso que atraiu muitas mulheres para as mesas.

A ansiedade para que o Espaço Futmesa RioMar Recife fosse um sucesso, foi extinta já nos primeiros momentos de abertura do espaço, no sábado, 19 (segue até o dia quatro de abril). Um grande número de curiosos, de todas as idades, compareceu e interagiu com os instrutores. E foi um dia intenso e de trabalho árduo de todos os componentes da organização. Muitos deles só conseguiram almoçar após às 15h. Mas a ideia, desde o princípio, era essa: ser um sucesso.

E as sensações foram as mais variadas, mas todas positivas. Alguns sacavam perguntas como uma metralhadora, querendo saber tudo sobre os desportos. Outros, se contentavam em observar. Mas a grande maioria queria mesmo era pegar uma paleta e tentar um chute, um lançamento e jogar.

Patrick e Gustavo: se cadastraram para aprender o futmesa nos seus clubes do coração: Sport e Santa Cruz.

Os amigos Patrick e Gustavo passaram cerca de duas horas aprendendo a regra 1T. E eles demonstraram grande habilidade, acertando lances à distância, controlando a força e a direção. No final, se cadastraram para aprenderem mais sobre a regra, porém, em clubes diferentes, pois um torce para o Santa Cruz e o outro para o Sport.

Gabriela e Federico, turistas argentinos que se encantaram com o futmesa e levaram foto de lembrança.

O Espaço e o jogo chamaram a atenção de dois turistas argentinos, Gabriela e Federico. Oriundos da Patagônia, eles disseram que esse tipo de jogo não existia no Sul da Argentina e ficaram surpresos por descobrirem que, em Buenos Aires, já se joga o futmesa e que já foi cede de torneio sulamericano. No final, pediram mais informações para levar para “los niños” de sua cidade e, claro, posaram em frente ao banner do evento.

Brincadeira passada de mãe para filha. Larissa Barbosa ensina sua filha, Cecília, como ganhava dos irmãos.

 

Se, para os argentinos, tudo era novidade, para alguns pais o jogo trazia boas lembranças que queriam compartilhar com  seus filhos. Larissa Barbosa, passou bons momentos na infância, quando jogava com os irmãos o “jogo de botão”, e foi chamada pela filha, Cecília, para entrar no Espaço. “Brincava com meus irmãos e o jogo me remete a momentos alegres que, hoje, estou compartilhando com minha filha”.

Jansen e seu filho, Heitor, saíram de casa apenas para jogar futmesa.

 

Jansen soube do evento pelas redes sociais e não teve dúvidas em levar seu filho, Heitor, para tomar contato com o desporto. “Já conhecia as regras de 12 e 1 toques, mas nunca levei meu filho para aprender. Agora, estou sabendo que clubes grandes, como Santa e Sport, também tem salas para o futmesa, a coisa fica mais fácil”.

Estudantes do Regina Coeli tiveram uma aula divertida.

 

Alunos do Colégio Regina Coeli, após visitarem a Exposição do Corpo Humano correram para as várias mesas para aprender o futmesa com os instrutores do da FPEFM e só largaram as paletas na hora da excursão ir embora.

Visita ilustre

Dinastia Lima: filho e Neto do saudoso Ivan Lima, Rodolfo e Juninho foram um dos primeiros a chegar ao evento.

O grande campeão pernambucano, Ivan Rodolfo, largou o pijama e seguiu logo cedo para a abertura do Espaço Futmesa. “Logo que soube, quis prestigiar. Mas, ao chegar aqui e ver esse imenso espaço com tanta gente nova querendo aprender sobre o jogo, fiquei impressionado”.